terça-feira, 12 de junho de 2012

Notícias AEE


RIO NEGRINHO

Uma reunião para aperfeiçoar o ensino a educação especial 

Encontro aconteceu no Centro de Excelência

Na noite de terça-feira (21), aconteceu no auditório do Centro de Excelência, uma reunião para esclarecimentos aos pais dos alunos portadores de deficiência, da Rede Municipal de Ensino. A reunião teve início com a apresentação da equipe que atua no Departamento de Educação Especial e Inclusiva, composta por diversos profissionais da educação.
Na ocasião, foi realizada uma apresentação aos pais e demais convidados, explicando o funcionamento do Atendimento Educacional Especializado nas escolas municipais. Esclareceu-se que todos os procedimentos adotados pela Secretaria Municipal de Educação possuem embasamento legal e seguem rigorosamente as orientações do MEC no que diz respeito à Educação Especial e Inclusiva.
Conforme Cleide Schoeffel, diretora de Departamento de Apoio Técnico Pedagógico, foi dado destaque ao Decreto nº 6571/2008 e à Resolução nº04/2009, que dispõe e institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializa na Educação Básica, modalidade Educação Especial.
“Foram apresentadas as salas de recursos multifuncionais, através de slides, e explicado aos presentes que os municípios para receberem estas salas precisam fazer o cadastro no PAR - Plano de Ações Articuladas do Programa "Todos pela Educação" do Ministério da Educação, onde os dados do censo escolar confirmam a presença de alunos com deficiências matriculados naquela Unidade Escolar, para a qual será destinada a sala de recursos e liberado o curso de especialização para o professor que irá atuar na mesma”, disse Cleide.
Foi explanado também, como se dá a atuação do professor do AEE dentro da Unidade Escolar, onde o mesmo tem que atuar como um facilitador para o aluno portador de deficiência e para seus professores da sala de aula regular. “Tivemos a preocupação de esclarecer aos pais o diferencial existente entre as escolas municipais e estaduais no que diz respeito ao segundo professor, isto porque percebemos que, por falta de conhecimento legal específico, muitas pessoas ficam confusas e acham que colocando um professor ou assessor de docência ao lado da criança deficiente, esta terá seus problemas resolvidos e, na verdade, o que estas crianças precisam, são de orientações específicas, que apenas um professor com formação adequada, obtida através do curso de especialização (pós-graduação) em educação especial pode oferecer e, que a aprendizagem deste aluno é de responsabilidade dos seus professores da sala de aula regular”, completa Cleide.
Para finalizar a reunião foi feito o convite aos pais que tenham alguma dúvida ou que necessitem de alguma orientação específica, para que procurem os professores do AEE nas Unidades Escolares ou o Departamento de Educação Especial e Inclusiva, na Secretaria Municipal de Educação. Em seguida os professores apresentaram aos pais de cada aluno suas pastas contendo os trabalhos que estão sendo desenvolvidos na escola.

Apresentação
Para completar, houve uma apresentação de canto usando a linguagem de sinais (libras) pelos alunos do terceiro ano, da EMEB Prof. Quiliano Martins, acompanhados pela professora Maria Silmara Fuerst Augustin, sob a regência do Professor Marino Noronha da Silva Júnior.

Profissionais
A reunião teve auxílio dos seguintes profissionais: Maria Aparecida Leck Pscheidt - Diretora do Departamento de Educação Especial e Inclusiva, Lílian Juraski da Luz – Psicopedagoga, Andréia Cristina Fischer – Psicopedagoga, Edenize de Fátima Prestes - Pedagoga / Pós Graduada em Educação Especial e Inclusiva, Geronilda Tschoeke Fuerst - Pedagoga / Pós Graduada em Educação Especial e Inclusiva, Marino Noronha da Silva Júnior - Pedagogo / Pós Graduado em Neuropedagogia e Libras, Simone Aparecida Vieira Neppel - Pedagoga / Pós Graduada em Educação Especial e Inclusiva e Valérie Campos de Campos - Pedagoga / Cursando Pós Graduação em Educação Especial e Inclusiva.

Fonte: Jornal Perfil



Nenhum comentário:

Postar um comentário